quarta-feira, janeiro 07, 2009

A Favorita

Muita gente sabe que eu sou um noveleiro-mor, apesar de só assistir quando dá tempo. Adoro ficar analisando o jeito que o autor leva a história, como as novelas mudam com o tempo, como o telespectador interfere, ou não, no andar da carruagem. Tem autor que faz disso um desafio. O José Emanuel Carneiro, autor de “ A Favorita”, é um deles. Gostei da novela desde o começo. Digo para todos que ela é a melhor novela brasileira dos últimos 20 anos. Melhor que ela talvez só a da Odete Roitman, ou Roque Santeiro.

Uma constatação que leva ao desespero a alguns, que não concordam com isso. Citam os erros de continuidade, o fato do autor e equipe global esquecerem de olhar as leis e padrões jurídicos (como no caso da falência da Fontini). Concordo com isso tudo. Mas o que faz uma novela beirar a perfeição é a capacidade que ela tem de gerar comentários, de te fazer não desgrudar os olhos da telinha nem por um dia, de emocionar e fazer dar risadas.

A Favorita tem tudo isso. Por isso vai deixar saudades. Nos que a consideram uma das melhores novelas já feitas, e nos que não a consideram também.

Afinal, podemos dizer que novela no Brasil é de uma experiência social gigante, um bate-papo colossal em tempo integral, que engloba todas as classes sociais, envolvendo ( quase) todo o país.

A Favorita envolveu.

 

Postar um comentário