segunda-feira, novembro 09, 2009

O mundo crescente do Facebook-parte 1


Nas últimas duas semanas falamos de Twitter. Nas próximas duas, completamos o “dueto” dos mais novos fenômenos em redes sociais, falando do Facebook.Antes de começar a falar do Facebook, gostaria apenas de avisar algo muito importante: idosos, adolescentes ou quarentões, estas ferramentas não têm idade, são para todas as idades.Prova maior é a quantidade enorme de pessoas destas três faixas que citei, encontradas usando com freqüência estas redes sociais.
Apesar de muita gente citar as duas redes, Twitter e Facebook, ao mesmo tempo, quando fala de nova internet, é preciso dizer que existem muitas diferenças entre uma e outra,pelo menos por enquanto. Afinal, não seria de se surpreender se cada uma das duas desejar ficar cada vez mais parecida com a outra. Isso já aconteceu com Google e MSN ( mais o MSN querendo ser Google, mas tudo bem), e parece que pode acontecer novamente.
Afinal, o Facebook também vem agora com a pergunta “ no que você está pensando agora?”
O Twitter te pergunta “what are you doing?”
Ou seja, o Facebook largou na frente do Twitter no Brasil, em termos de tradução.
Para começarmos a explicar o que é o Facebook, nada melhor do que uma simples comparação com outro fenômeno da Internet brasileira: o Facebook é como o Orkut. Mas eu diria que é um primo bem mais inteligente.O colunista do portal G1, Fernando Panissi, foi mais um a se render ao poder do Facebook. Na sua coluna da última terça-feira, Panissi reconhece que mudou de idéia, e que agora acredita que o Facebook pode sim tornar-se um grande concorrente do Orkut. Se você olhar apenas os números friamente, verá que o Orkut tem 24 milhões de usuários no Brasil, enquanto o Facebook tem apenas 1 milhão. Mas a julgar pela capacidade do Facebook de reinventar-se e de adicionar novas ferramentas,a disputa vai ser cada vez mais acirrada.
Para fazermos da mesma forma que fizemos com a série do Twitter, vamos fazer um passo a passo para quem quiser se cadastrar no Facebook.
O primeiro passo é entrar no www.facebook.com
Ao chegar lá, fica tudo mais fácil, pois está em português.Do lado direito da tela, tem um “Cadastre-se, é gratuito e todos podem participar” bem legível. Preencha com seus dados básicos, e clique em “cadastre-se”.
O sistema te joga para uma próxima página, com aquelas palavrinhas difíceis de ler, para você olhar e escrever, como verificação de segurança, para comprovar que você não é um robô.
Feito isto, você é levado para uma página com 3 etapas a percorrer, não obrigatórias: localizar seus amigos, definir onde você estudou/onde trabalha e foto para seu perfil.
Feito isto, você já está pronto para começar a explorar sua conta do Facebook.Em “Encontre pessoas conhecidas” digite o nome dos seus amigos mais próximos, pois com eles você vai poder cometer as gafes necessárias para começar a entender uma nova rede social.
Para poder relembrar todo o processo e te contar aqui na coluna, criei uma conta qualquer e fui buscar por Fred Neumann. Tinha 6 Fred Neumann antes de mim. O que prova que eu não sou nenhum ser tão diferente. Tem muita gente parecida comigo, ou até com o mesmo nome.
Para seu segundo passo no Facebook, sugiro completar seu perfil, e começar a achar mais amigos. Vá em “ Página Inicial” e confira se eles já aceitaram seus pedidos de amizade, ou se existem pedidos pendentes.
Antes de terminar a coluna de hoje, vale avisar sobre uma grande diferença entre Facebook e Orkut: no Facebook, você consegue conversar em particular com os amigos, tendo o histórico da conversa gravado em uma página só, visível somente por você e seu amigo. Esta característica sozinha já tem atraído muitos brasileiros, que acreditam, com razão,ser este um belo diferencial.Já a diferença para o Twitter é que, enquanto o Twitter envolve ler e conhecer muita gente desconhecida na vida real, o Facebook é principalmente para amigos já feitos antes do mundo virtual. Isso não impede de você criar toda uma clientela ou rede de amizades nova no Facebook.E ainda, jogar muitos joguinhos viciantes! É sobre isto que falaremos na segunda parte das colunas sobre Facebook, na semana que vem. Até lá!

* Coluna publicada originalmente no Jornal Interação, de Araxá-MG
Postar um comentário