sexta-feira, novembro 11, 2011

Tumblr, o Twitter dos blogs

Claro, depende da idade de quem ler este texto. Mas imaginemos que você tenha acompanhado a Internet nos últimos 10 ou 15 anos. Deve ter presenciado o que vou relatar agora. Primeiro, você usava o comunicador de mensagens instantâneas ICQ, que vinha com aquele barulhinho hoje saudoso “u-uuull”. De repente, praticamente sem avisar, se você não estivesse bem atento, não entenderia como, num passe de mágica, o ICQ deixou de ser a bola da vez e passou o estrelato ao Messenger. A Microsoft não perdeu a oportunidade e comprou-o.

A vida social na Internet começou a ganhar corpo, quando você precisou criar seu perfil no Orkut, porque todos seus conhecidos estavam lá. Alguns de nós, diria uns 40 milhões de nós brasileiros, ficou muito tempo por lá, e muitos continuam ainda. Só que muitos outros migraram-se para um site que favoreceu vários aspectos da socialização que nenhum outro havia feito antes na história deste mundo social web. Era a chegada do Facebook. Com ele, uma das grandes barreiras quebradas foi a de que a Internet ajudava a isolar as pessoas, ao invés de aproximá-las. Através de uma série de inovações, estamos cada vez mais próximos uns dos outros.

Por outro lado, quando alguma crise política acontecia no Oriente Médio, ninguém ficava sabendo. Se uma chuva interminável caísse em sua cidade gerando engarrafamentos e alagamentos que deixavam sua saída de casa para o trabalho mais próxima de uma aventura de Indiana Jones, a única forma de descobrir se você tinha alguma chance de chegar ao seu destino era ligar a televisão ou o rádio. Com a chegada do Twitter, isso mudou definitivamente. Ditadoras eternas foram derrubadas com o auxílio desta nova rede social. As pessoas criaram o hábito de enviar via Twitter de seus celulares suas impressões sobre o trânsito em dias de chuva, orientando os seus seguidores a não percorrerem tal trajeto. Os artistas ficaram muito mais próximos de seu público, pois ficou possível para um fã chegar ao seu ídolo usando apenas um @. No Twitter, tudo isso foi permitido principalmente pela sua característica das mensagens serem limitadas a 140 caracteres, mas que com o tempo chegaram também as fotos e vídeos. Isso deu ao Twitter a fama de site “rápido”, para assuntos urgentes, importantes, que se viralizam de uma forma incrível.

Aproveitando desta nova característica a qual o internauta se acostumou, o americano David Karp, do alto de seus 21 anos, criou em 2007 o Tumblr. Um serviço de blogs similar ao Blogspot e ao Wordpress, mas com algumas novidades. O Tumblr se tornou o Twitter dos blogs. Ajudou a popularizar mais uma expressão da web, mas tanto que alguns apostam na entrada dela como um verbo nos dicionários. E que desde já está presente no artigo sobre o Tumblr na Wikipédia: é o verbo “reblogar”. Se no Twitter o usuário “retuíta” com um limite de 140 caracteres, no Tumblr, se você gosta da postagem de algum dos “Tumblrs” que você segue, pode “reblogá-lo”, postando esta mesma postagem do seu “Tumblr” favorito em seu Tumblr. Isso viraliza uma postagem imensamente, como no Twitter.

Além de ter criado a expressão “reblogar”, o Tumblr foi além e ajudou a popularizar diversas outras expressões no Brasil, como “Fica, vai ter bolo”, “Quer ver na Copa”, “Porra ”, e por aí vai.

Qual será a próxima inovação? Reinventa tudo aí e conte pra gente. Ou empreenda, criando seu próprio serviço na web.

Fred Neumann é publicitário e pós-graduando em mídias digitais. Além disso, acha que é cronista, cantor e compositor. Escreve semanalmente para o Agito Atibaia.


* coluna originalmente postada no Agito Atibaia

Postar um comentário