terça-feira, setembro 21, 2010

Futeboladas

Como este é o principal assunto do brasileiro, não posso deixar de, a cada cinco ou seis colunas, falar sobre ele.Afinal, não sou um colunista que fala exclusivamente sobre política, economia e assuntos internacionais. E ultimamente, por causa destes assuntos, fica até parecendo que eu estava com um certo mau humor em relação a tudo.Não é bem assim.A questão é que depende do assunto.Alguns deles nos levam a ter opiniões ácidas.O futebol não é um deles,mesmo quando o assunto futebolístico é polêmico.Futeboladas, eu diria.No Brasil, pelo Neymar.Na Itália, pelo Ibra, ou Ibrahimovic, pra quem não está acostumado com seu apelido.Começarei a coluna pelas futeboladas, provavelmente terminarei com elas também, mas a parte engraçada do futebol é feita disso: de caneladas, isoladas, futeboladas e peladas.
O Santos ganhava tranquilamente e de virada do Atlético Goianiense.Final da partida.Sua maior estrela, contando com a super avançada idade de 18 anos, holofotes do mundo todo voltados a ele, desfila mais uma crise de rebeldia, por entender que “poderiam” querer tirar os holofotes de cima dele.Afinal, “pênalti sou eu quem bato”.Como o “professor” passou este direito ao centroavante, a estrela Neymar, de 18 anos, começou a rebolar mais que dançarina de axé.Foi substituído e literalmente “xilicou”.Se fosse apenas um integrante de uma família brasileira, seria apenas considerado como mais um adolescente acometido dos problemas da transição para a vida adulta.Mas o treinador do time derrotado o chamou de “ um possível futuro monstro”.Seus colegas de time perderam a paciência e vão cobrar uma atitude mais razoável.E por incrível que pareça, nada anormal.Afinal, o que se esperar de um profissional que ganha mais de R$300 mil por mês, só de salários, fora o resto? Tem 18 anos, mas representa muitos interessantes.Tem que ser mais preparado que príncipe de Gales. Enfim, futebolada número 1 da semana.
A número 2 veio lá da Itália.Assisti na íntegra e em italiano á discussão entre o ex-técnico da seleção italiana e atual comentarista, Arrigo Sacchi, e a nova estrela do Milan, o Ibra. Devido ao meu italiano macarrônico, não entendi tudo, mas ter assistido ao vídeo me fez entender mais do que se tivesse apenas lido a matéria que saiu na imprensa brasileira (com pouca variação entre uma e outra).O Ibra me pareceu estar engasgado com o Sacchi devido a um acúmulo de opiniões negativas nos últimos tempos, parecendo a ele uma perseguição do veterano.Assim, pegou a chance que teve como um esfomeado diante de um prato cheio.Foi divertido de assistir.Divertido e incômodo.O Ibra se vingou ao vivo.Pode até comemorar o fato com seu amigo Piqué, do Barça.Futebolada número 2 da semana.
Passo agora ao jogo entre Fluminense e Corinthians. Era um dos jogos mais esperados do campeonato. O Fluminense conseguiu perder uma invencibilidade contra times não cariocas que vinha desde Agosto de 2009.Mas o que me chamou a atenção mesmo foi o belo gol do corinthiano Jucilei.Não se pode realizar um gol destes por pura sorte.Não há como não constatar talento.Quando eu estava longe do Brasil, vi a convocação do Mano Menezes e não entendi a presença dele e a não presença do Elias.Agora começo a entender um pouco mais. Existem coisas que os técnicos profissionais enxergam muito antes de nós, milhões de técnicos amadores.Nem sempre muito depois dos empresários dos jogadores, mas isto é uma outra futebolada (para quem?), digo, uma outra história.
Para finalizar a coluna sobre futeboladas, não desejo a você receber uma futebolada nos testículos. Deviam inventar um escudo super leve para proteger esta parte do corpo masculino.Empreendedores, pensem a respeito.
Postar um comentário