quinta-feira, maio 08, 2014

Brasil na Copa do Mundo: a quarta exceção?


Analisando a história das Copas do Mundo, cheguei a uma amostra curiosa: em 19 Copas do Mundo, somente 6 vezes o país-sede sagrou-se campeão. Ou seja, 31,57% das vezes. Alerta para o Brasil? Nem tanto. Vamos analisar o grupo dos 13 países-sede que não foram campeões.Nestas demais 13 Copas do Mundo, em 10 delas o país-sede jamais foi uma força no futebol mundial. Ou seja, 76,92% deste total ( das demais 13 Copas do Mundo). Existiram 3 exceções, em que o país-sede era de fato uma potência, mas não conseguiu vencer. Ou seja, deste total, somente 23,07% das vezes isso aconteceu. Se você considerar então todas as 19 Copas do Mundo, estas 3 exceções equivalem a apenas 15,78% das vezes.


Confiram as 3 exceções:


1938- A França era o país-sede, correção aí. Em 1934 que a Itália ganhou sendo o país-sede. Vejam que a França só ganhou, uma única vez, quando foi país-sede de novo, e com o colapso estranhíssimo do Ronaldo na final.
1950- A primeira exceção. O Brasil perdeu por muito pouco, para um país que era uma mega potência do futebol mundial da época.
1954- A Suíça jamais foi uma força no futebol mundial.
1958- A Suécia jamais foi uma força no futebol mundial.
1962- O Chile jamais foi uma força no futebol mundial.
1970- O México jamais foi uma força no futebol mundial.
1982- A Espanha carregou a fama de "quase" até 2010, quando finalmente deslanchou. Até quando? Não sabemos.
1986- O México jamais foi uma força no futebol mundial.
1990- A segunda exceção. Itália perdeu. Mesmo sendo a Alemanha a vencer, um gigante do futebol, o país-sede perdeu. Ponto final.
1994- Os EUA jamais foram uma força no futebol mundial.
2002- Coreia do Sul e Japão jamais foram forças no futebol mundial.
2006- A terceira exceção. A vingança. Desta vez, a Itália deu o troco no país-sede, Alemanha.
2010- A África do Sul jamais foi uma força no futebol mundial.


Ou o Brasil vai ser a quarta exceção, quem sabe perdendo para um time sul-americano por muito pouco? Talvez a Argentina ou Chile, a depender da qualidade atual deles.


Com isso teríamos duas séries de exceções: a primeira série entre Alemanha e Itália vencendo Copas um na casa do outro. E uma segunda série com o Brasil perdendo para um grande rival. Claro, o Chile, eterno freguês brasileiro, tem as chances muito diminuídas aí...


Ou o Brasil vai manter o padrão de 1930, 1934, 1966, 1974, 1978, 1998.


Algo que não aconteceu nas últimas 3 Copas.


Até agora, entre os grandes como país-sede foram 6 vitórias e 3 exceções.


O que será do Brasil ao final desta Copa do Mundo: a quarta exceção ou a 7a. vitória de um grande ( isso se considerarmos França como grande) ?


O que vocês acham?

Obs: este logo sensacional da Copa de 2014 ( e não-oficial, uma pena...) foi feito pelo Guilherme Bandeira, do blog Olha que Maneiro.
Postar um comentário