quinta-feira, fevereiro 26, 2015

Quem vai liderar o ranking da ATP em 2020?




Em um grupo de amigos surgiu esta pergunta: quem vai ser liderar o ranking da ATP em 2020?

Se nada acontecer com a saúde do +Novak Djokovic , eu diria que em 2020 ele estaria terminando seu ciclo.
Alguma chance dele ainda ser número 1 em 2020, com 32 anos.
Se ele conseguir isso, vira mito, tipo Federer, Borg, Laver.

Me perguntaram também: o novo número 1 em 2020 já estaria jogando hoje?


Bem, para responder esta, caso Djokovic e +Rafael Nadal realmente tiverem largado o osso, os tenistas quando chegam a número 1 geralmente o fazem pela primeira vez entre 21 e 24 anos de idade. São raros os casos em que isso não acontece neste intervalo.


Para não fugir da pergunta, vou lançar 8 nomes!
Os 4 tenistas, a meu ver, com maiores chances de chegar ao número 1 em 2020:


1) +Nick Kyrgios (Austrália)- o favorito. Meio doidinho, mas joga muito. Se espelhar no Djokovic, equilibra o mental e chega no número 1.
2) +Dominic Thiem (Áustria)- é daqueles que têm todos os golpes, bom saque, pinta de Top 10, no mínimo.
3) Borna Coric (Croácia)- ganhou do Nadal aos 17 anos de idade, no ano passado. Precisa dizer mais alguma coisa? Obs: esta previsão foi feita antes dele surrar o +Andy Murray pelas quartas no ATP 500 de Dubai 2015, apesar de ser postada somente hoje. Vou manter a previsão, até pq se tivesse escrito hj, teria certamente elevado o Coric para favorito.
4) Alexander Sverev ( Alemanha)- pegou quartas nesse mês, num ATP 250, perdendo num baita tiebreak pro Monfils. Mas joga muito e já ganhou do Youzhny, 19o. na época.


Outros 4 que poderiam surpreender, além destes 4?


Grigor Dimitrov (Bulgária)- também é um cracaço. Acompanhem. Mas já faz 24 anos em Maio. Precisa trocar de técnico, fazer algo diferente. Ou ganhar um Grand Slam em 2015, pra impulsionar de vez.
Os tenistas japoneses, Kei Nishikori e Yoshihito Nishioka ( canhota potente, estilo Marcelo Rios). Uma hora um asiático vai chegar ao topo...mas o Nishikori, como o Dimitrov, seria já para 2015 ou 2016 no máximo, senão já era. O Nishioka, esse sim, para 2020.
No australiano Bernard Tomic, eu também apostaria algumas fichas. Menos, mas apostaria. Só pelo fato de ter o pai mais maluco do circuito! Senão, acho que já estaria bem mais perto do topo.


Agora, quem surgir forte até o final de 2018, eu diria, também tem muita chance de liderar em 2020.
Como os EUA já estão há 12 anos longe do topo e devem estar ávidos em colocarem um novo número 1, eu ainda colocaria, de reserva, de bônus, um 9o. nome: o Ryan Harrison.

E na sua opinião: são estes 8 mesmo? Tem algum que poderia surpreender?

Atualização 1: hoje, 8 de Abril de 2015, estou acrescentando o 10. nome a esta lista, mais um para engrossar a fileira de asiáticos que um dia irão certamente chegar a número 1 da ATP. O nome dele é Hyeon Chung. Tenho ficado impressionado com suas performances no circuito profissional, assim como fiquei muito impressionado com sua capacidade mental, num jogo ainda como juvenil em Wimbledon versus Borna Coric, aqui. Coric x Chung pode, inclusive, ser um futuro clássico do tênis. Vamos acompanhar!



Postar um comentário