segunda-feira, março 02, 2015

A lição da torcida mista do Gre-Nal


Ok, sabemos que muitas pessoas nem ligam para futebol, ao contrário de outras muitas que são apaixonadas por este esporte desde que nasceram. Como é o meu caso. Acompanho diariamente e converso muitas vezes dentro de um mesmo dia com meus amigos mais próximos sobre o esporte. E ainda converso com quem nunca vi na vida. Futebol é o idioma universal, eu já disse isso uma vez. Porém, um grande porém na vida dos torcedores do bem, se é que podemos nos rotular assim, sempre foi aquela manchete fatídica aparecendo no final dos jogos, no dia seguinte ou até antes dos jogos, nos avisando que algum torcedor morreu. Que uma família irá ficar marcada para sempre e por qual motivo? Porque o seu filho que se foi queria ter alguns momentos de diversão no dia, talvez para esquecer uma vida tumultuada lá fora? Ou simplesmente queria 2 horas de abstração. Tudo bem, poderia ser um fanático também, que ia em todos os jogos de seu time do coração. Lá isso é motivo de assassinato? O fato é que os dirigentes do futebol têm pelejado com este problema violento há tanto tempo e nunca conseguiram zerar as mortes nos estádios.

A foto que ilustra este post é emblemática. Mostra um casal, composto por um colorado e uma gremista, e ao lado um senhor folclórico, daqueles que sempre fizeram parte dos principais capítulos escritos nos estádios. Esta foto só foi possível graças a uma iniciativa no Rio Grande do Sul de se tentar torcida mista no estádio. Com todos os torcedores juntos e misturados. Mas aí podem se perguntar os mais fanáticos como que fica a magia de se ver uma torcida provocar a outra e gerar aquele espetáculo competitivo para se descobrir qual torcida deu um show maior? Pois quero sugerir, caros mais fanáticos, que peguemos este fanatismo para entender que infelizmente, por enquanto, este espetáculo deve dar vez ao cenário da torcida mista. O nosso país do futebol não precisa no momento de uma foto desta?

Você pode até não concordar comigo, assim como está na falta de concordância entre colorados e gremistas, atleticanos e cruzeirenses, corinthianos e palmeirenses, a magia do futebol: tripudiar, rolar de rir da derrota do rival para um time de menos sucesso, gerar histórias novas para decorar sua vida com momentos inesquecíveis. Isso tudo não só é permitido, como é fundamental ao futebol. Assim como devo dizer que se você não concorda comigo em relação à torcida mista, deve concordar em relação à magia da disputa saudável dentro do estádio pra ver qual torcida proporciona um espetáculo mais bonito, não é? Um espetáculo só dela, goleando a outra em vibração, em cânticos criativos, em levantar seu time quando ele mais precisa?
Pois o que tenho a acrescentar a este debate, no momento, é que o espetáculo da torcida mista, proporcionado pelo Gre-Nal de ontem, foi uma belíssima solução aí escancarada para que não voltemos a ter que ler mais as notícias de mortes envolvidas a um momento tão sublime de celebração à vida. E que, pelo menos para o momento, se você é realmente fã de se ver uma disputa saudável entre as torcidas para ver qual se destaca mais, se você quer ficar somente entre os torcedores do seu time para levantá-lo para mais uma vitória, eu te diria que é momento de louvar a torcida mista. De agradecer pelo que ela pode trazer ao futebol e entender que ela pode ser a única salvação para que você possa um dia torcer para seu time em um canto do estádio reservado somente à torcida do seu time. Se é que isto ainda será necessário, tamanha a beleza do espetáculo de ontem da torcida mista. Que a única coisa que destruiu mesmo foram os arrombos de machismo exacerbado, de mostrar que "sou mais bruto". Isso pode ficar destruído e guardado em um lugar inacessível mesmo de nossas memórias. É para o bem de todos. Entenda, torcedor. Pois pode ter certeza que as milhares de famílias brasileiras, que não podem sequer ver o cenário de um estádio de futebol, de seu entorno e de suas torcidas brutais, pois perderam seus filhos em tempos anteriores, estas famílias certamente não só entenderam. Elas também podem ter visto, com lágrimas nos olhos, que aquela vontade desde então retida pela tristeza em seus corações, de voltar a gostar da magia do futebol, pode ter sido escancarada de novo, pela sensacional idéia que foi, este espetáculo da torcida mista.
Postar um comentário