quarta-feira, fevereiro 14, 2007

O fugitivo

Rasgando a roupa suja corta o caminho
Que cicatriza e conserta
Pegando o coletivo distorce o sozinho
Que torce e silencia

Qual alma cria um sono acordado
se não descansa as noites passadas?

Qual veia circula vermelho se o azul
a impede de ser simples?

Contorna a sombra e pega um atalho
Foge, foge, foge

As pedras não serviram
Postar um comentário