quarta-feira, novembro 28, 2007

No fundo da Lagoa do Barreiro-11

O número de quartos da Mansão do Fundo da Lagoa do Barreiro é realmente assustador. Já descrevemos alguns, mas ainda não falamos do Grande Corredor. Este inusitado local, que liga todos os quartos, já presenciou fatos históricos da mansão. Como por exemplo, o dia em que Zequinha da Biloca começou a vazar água por vários de seus poros, entrando em desespero e Ana Jacinta tendo que mandá-lo de volta para o lado de cima ás pressas. Afinal, nem todos os clientes conseguem passar ilesos até chegarem á Mansão. As preparações sofisticadas para completar a Passagem não são pra qualquer um.
O Grande Corredor conta atualmente com cinquenta fotos de seus clientes mais ilustres. Cada um, obviamente, tornou-se um mantenedor do local, e criou uma pulga gigante atrás das orelhas de herdeiros. Afinal, no recibo emitido consta o seguinte:

“pagamento de manutenção do mito Dona Beja”

Muitos herdeiros já protestaram, tentaram deixar de pagar, mas talvez por milagre, a cada primeiro dia de mês aparece sempre descontada na conta do homenageado, ou do tomador-de-conta-do-espólio-do-dito-cujo, tal quantia referente ao pagamento. Fato este que já começa a ser estudado por estudantes de Administração, Economia, Matemática e Ciências do Desconhecido em diversos lugares do planeta.

O Grande Corredor possui oito Grandes Curvas, estas só não sendo maiores proporcionalmente ás das sereias que habitam a casa. Na temporada de inverno, Ana Jacinta manda colocar um piso especialmente feito pelo Comitê Olímpico Internacional, devido ao fato deste piso ser usado nas competições de Patinação nas Olimpíadas de Inverno. Para poder deslocar normalmente pela mansão, os clientes são recomendados a usarem sapatilhas especiais deslizantes. O clima do Grande Corredor, nestas temporadas, só aumenta o friozinho na barriga de quem adentra a grande Mansão do Fundo da Lagoa do Barreiro.

Ana Jacinta, feliz, capitaliza.


* Para relembrar como foi o capítulo 10, leia aqui
Postar um comentário