quinta-feira, maio 14, 2009

A saída da Tahitian Noni do Brasil

Alguns de vocês acompanharam minha história com a Tahitian Noni. Foi quando eu descobri o prazer de se trabalhar com marketing multinível. Ou marketing de rede como alguns outros conhecem este segmento. Fui distribuidor independente da Tahitian Noni no Brasil por 2 anos, 4 meses e 3 dias. Até hoje, quando ela oficialmente comunicou sua saída do Brasil.
A Tahitian Noni International está presente em mais de 60 países, e por isso é extremamente triste reconhecer isso, mas eu acabo de perceber que o Brasil realmente merece estar nas listas dos países corruptos que vemos divulgadas por aí. Para compor esta coluna, busquei uma notícia da agência Reuters, de 23 de Setembro de 2008, onde ela indica que o Brasil está na 80ª. Posição, no ranking da O.N.G. Transparência Internacional.
Pois bem, a Tahitian Noni International foi obrigada a tomar a decisão de sair do Brasil, por não conseguir registrar de forma definitiva nos órgão de saúde competentes ( não vou citar o órgão diretamente para não procurar briga, mas quem conhece o ramo sabe qual é) seu principal produto, que é o suco de noni. Quem já o consumiu sabe os enormes benefícios que ele gera em nossa saúde. Ele não tem propriedades curativas, mas certamente incomodou muita gente durante sua presença em terras brasilis.
Se o Brasil está em 80º. no ranking mundial de corrupção, e a Tahitian Noni está presente em 60 países, pode-se fazer uma lógica aí que o Brasil precisa melhorar pelo menos umas 20 posições para que uma empresa tão respeitada, séria e ética como a Tahitian Noni permaneça em nosso solo.
A pesquisa diz também que em relação á última pesquisa o Brasil piorou 8 posições, perdendo agora para Butão e Botsuana. Ou seja, estamos abaixo do Butão, e isso significa que a coisa só pode estar fedendo.
Pegamos então a América do Sul. O Brasil perde feio do Chile, que é o único país da América do Sul onde o suco Tahitian Noni está presente. Tem também o Paraguai, vale dizer, que é mais corrupto que o Brasil. Mas o suco Tahitian Noni lá está presente há menos de 2 anos, assim isso me leva a crer que o futuro dele lá não será muito distante.
Se o Chile está há muitas léguas á frente do Brasil neste ranking da corrupção, e lá a Tahitian Noni vai maravilhosamente bem, só podemos entender que não se trata de coincidência.
Vivemos num país em que cigarros são aprovados por este mesmo órgão de saúde, e um suco que traz tanto bem para tantas pessoas no mundo inteiro não consegue ser aprovado. Um suco que, após tantas pesquisas, nunca teve nada de contra-indicação comprovada, versus um produto como cigarro que comprovadamente é causador de tantas doenças. Não é possível entender algo assim.
Apesar da empresa sair do Brasil, recebi um e-mail do presidente mundial da empresa, sr. John Wadsworth, garantindo que continuará tentando a aprovação do produto no Brasil, usando apenas do seu modo ético de fazer negócios. Boa sorte, senhor John.
Com a saída da Tahitian Noni do Brasil, muito mais que algumas dezenas de centenas de empreendedoras deixam de ganhar dinheiro. O que vale mesmo é que milhares e milhares de pessoas no Brasil sentirão muita falta dos benefícios do suco. Gente como os atores Marcelo Novais, Carolina Dieckman e Stenio Garcia. Como os atletas Hortência e Oscar do basquete, Picuruta Salazar do surfe e César Castro dos saltos ornamentais. Gente que nunca teve a menor dificuldade em reafirmar a importância do suco de noni em sua saúde.
Ou seja, uma notícia realmente triste. Mas como nada é tristeza ou felicidade para sempre, a batalha continua. E não vejo momento melhor para reafirmar a todas aquelas pessoas que, dentro de algum tipo de pré-disposição preconceituosa não conseguiram enxergar um segmento tão crescente e tão importante na vida de tantas pessoas mundo afora: o marketing de rede profissional é o contrário daquelas pirâmides de dinheiro, que são proibidas por lei. Agora que eu não sou mais oficialmente integrante de nenhum marketing de rede ( por enquanto), o que posso deixar de legado, através desta coluna é: quando você for abordado por um representante de uma empresa que afirma ser de marketing multinível ou marketing de rede, considere com carinho. Pode ser a melhor oportunidade de negócios de sua vida. Pense com carinho e pesquise bastante. Assim como no mundo dos negócios tradicionais, você acabará se deparando com profissionais com ética ou não. Com empresas sérias e com empresas querendo dar o golpe.
Pesquise-as todas, e escolha no final uma empresa de marketing de rede, para dedicar uma parte de seu tempo. Eu diria uma hora por dia, pelo menos. Depois, anos depois, com muita dedicação á empresa que escolheu, você irá me agradecer.
Para me despedir desta coluna, não teria outro final melhor. Obrigado Tahitian Noni, obrigado ao Luciano Marques que me apresentou á esta oportunidade, obrigado ao Silas Diniz que é um líder tão inspiracional, e por último, obrigado a Gilberto Guitti, um grande presidente e um grande profissional desta espetacular indústria, que envolve milhões de pessoas no Brasil, chamada marketing multinível.
Postar um comentário