terça-feira, fevereiro 21, 2006

Estrada Palavra

Café azul cílios dados clara lua melão cólica luz viagem raro alegria sorria lia na nua noite de marte mais de muitos mil cento e verde pus e lá no abacate díspar disparate alfaiate no centro do nada da dor nadador da translúcida muda miúda maluca corrida certeira rasteira tropeiro no topo do morro Gonçalves Setúbal plutão da mania nanica banana pestana do rato e da cama da uva suco de jaca morena mirando e urrando para disfrutar o deboche pileque bobeira de mil cuentros dentro de salas anastácias milagres da vida vi lá no horizonte correr sem saber mascar mas lá no carro amêndoa amém de Belém sinfonia final da Estrada Palavra.
Não cobramos pedágio.
Postar um comentário