domingo, abril 08, 2007

O chiclete

O chiclete depois de mastigado parou grudado na calçada
Saiu sem cuidado da boca de um professor com bafo
Tentativa inútil de esconder fragilidade de sua amada
Não parou na sola de um dono de calçado safo

Vinte dias depois, o chiclete virou cena urbana pisada
Era verde virou preto cinza camaleonísticamente
Deixou um pedaço no salto de uma mulher casada
Virou pista descolante de um ser que mente

A desculpa para comprar roupas novas foi longa
A volta foi coroada com um fetiche por sapatos realizado
O pedaço do chiclete estava lá, sem mais milongas
O professor reconheceu, sua mulher estava em dia azarado

Um pequeno pedaço de chiclete pisado
Uma sina mastigada de um casal coincidente
Postar um comentário