segunda-feira, julho 30, 2007

No fundo da Lagoa do Barreiro-7

Rúbia começou a imprimir um nado acelerado. Saiu das dependências da mansão de Ana Jacinta. Passou por trás da antiga casa de hóspedes do lado de fora, deu meia-volta e foi no sentido da Piscina Emanatória. A sereia número 5 retirou a tampa cheia de lodo e continuou subindo. Chegou finalmente na piscina, que era seu passatempo favorito quando precisava espairecer. Porém, desta vez ela testemunhou uma cena intrigante. Estavam reunidas na piscina duas pessoas com uma conversa que chamou sua atenção.

“ Não creio que Olavo possa ser creditado como uma nova Dona Terezinha. Ainda acredito que acharemos seu corpo”, disse uma das pessoas.
“ Não tenho essa mesma expectativa. Já credito o caso Olavo como o segundo dentro de sumiços misteriosos de Araxá. E se você perceber, os dois desapareceram perto da água. Só pode ter uma ligação nisso aí”, disse a outra pessoa.
Rúbia, com estes dados todos penetrando seu ouvido, utilizou-se de seu nado forte novamente, e muito rapidamente voltou para a mansão em nado recorde de quatorze segundos, quebrando seu próprio recorde, já que ela era a única a habitar aquele local escondido.
Ao chegar na mansão, Rúbia relatou tudo que ouviu da conversa entre estas duas pessoas para Ana Jacinta. A dona da mansão e seus neurônios começou a formular um plano de contornar esta crise. Com algumas pílulas de lama para envolvidos no assunto, e o caso estaria um pouco mais abafado. Nada que tiraria da memória araxaense mais um caso de sumiço. Mas no momento, era importante tirar o foco da Lagoa. Ana Jacinta verificou, e Olavo estava no quarto de Dora, tomando mais uma caipirosa. No fundo da Lagoa do Barreiro, tudo na mais perfeita ordem.

Postar um comentário