quinta-feira, janeiro 25, 2007

Viva Chile


O Fernando González e seu tênis marcam também a consistência de todo o país Chile.
Não me arrisco muito a falar da economia deste país.
Deixo para um blogueiro muito mais experiente neste assunto, como o Márcio Pimenta por exemplo.
Mas sei que é um país-exemplo na América do Sul, com a maioria de seus índices sociais em constante melhora.
E isto reflete no tênis.
Vejamos. O Gustavo Kuerten, nosso querido Guga, levou o nome do Brasil ao topo do mundo tenístico, como não se via desde Maria Esther Bueno. há longíquos anos.
Depois dele, qual foi o próximo brasileiro a se destacar?
O já aposentado Fernando Meligeni, que chegou ao 25o. após a temporada de saibro de 1999.
Depois Ricardo Mello com um 50o. lugar no meio da temporada de saibro de 2005.

Pois bem. O Chile fez o primeiro tenista número 1 da América Latina em sua história, o chino Marcelo Rios , isto em 1998. 6 anos depois, fez o campeão olímpico de Atenas em 2004, Nicolas Massu, que foi Top 10 neste mesmo ano.Foi a primeira medalha de ouro da história deste país nos Jogos Olímpicos. Nestas mesmas Olimpíadas, Massu e Gonzales ainda deram a segunda medalha de ouro da história olímpica chilena.
2 anos depois, Fernando Gonzalez chegou a número 7 do ranking.

E hoje, bateu o grande Rafael Nadal em rápidos três sets a zero, fazendo sua primeira semifinal de Grand Slam .
Ou seja, o Chile tem produzido com constância grandes tenistas.

Onde vai parar o Chile? Num belo país, sem dúvida.
Postar um comentário