domingo, setembro 17, 2006

Pipoca


Do milho duro e feio ela surge ao se aquecer demais
Diferente dos humanos, bonita é quando estoura
A boca da cadela esfomeada vira uma vassoura
Limpando o chão de pipocas quase infinitesimais

Pipoca peruá, pipoca preta queimou, pipoca boa
Srijataptururutipapumslijatknipataptipunnnzup
Com sal, com fondor, açúcar, mostarda, catchup
Na hora do cinema a estrela, comida ou que voa

Pra explicar extremos fãs na primeira fila, pipoca
Pra decifrar desistências desesperadas, também
Pra nomear o balé dos foliões do axé pulando além
Do horizonte surge a estrela que explode quando toca

Capopi, picapo, pocapi, panela, no saco, dentro da tigela
É grande a fileira branquela que desce zunindo pela goela

--------------------------------------------------------

Foto de Fernando Segura
Postar um comentário