domingo, agosto 27, 2006

O futebol e o Sol espectador


Não quero perder o pôr-do-sol
Eu quero pôr no gol e ir pro lual
Reúno os amigos, enterro na areia a gelada
A loira cerveja ao lado da linha traçada
De braçada o goleiro tira da mira
Era pra ser gol, só entrou areia
O atacante amarelou, todos com esta cor
Do Sol que jorra nos pés dos meias
Sem meias
Armam com a levantada do pé
No peito do Zé banheira-mor
Na areia sem impedimento, com lamento
Sem juíz vale qualquer regulamento
Ninguém sabe a cor da bola de cor
Decoraram a arquibancada com o céu
Os torcedores ao léu
também são time
Eu jogo futebol na praia
lá não tem raia
Nem o raio que parta pra " reive"
pós-pelada é reggae
depois
depois

* foto que inspirou o poema: de Mônica Santos
Postar um comentário